“Ninguém sabe o que fazer”, diz porta-voz dos refugiados palestinos

Mundo

Mundo – Em entrevista à agência de notícias AP, nesta sexta-feira (13), Inas Hamdan, oficial da agência de refugiados palestinos da Organização das Nações Unidas (ONU) Cidade de Gaza, declarou que “ninguém sabe o que fazer”, diante à ordem das Forças de Defesa de Israel para que habitantes no norte do território fujam para o sul em 24 horas.

O porta-voz do Crescente Vermelho Palestino, na Cidade de Gaza, Nebal Farsakh, relata que que a situação na cidade se tornou um “caos”: as pessoas pegam tudo o que podem e fogem.

 “Esqueça a comida, esqueça a eletricid,de, esqueça o combustível. A única preocupação agora é se você vai sobreviver, se vai viver“, afirmou.

Farsakh diz que é impossível evacuar 1,1 milhão de pessoas (número estimado de cidadãos ao norte da região), com segurança, dentro de 24 horas. Como exemplo, o porta-voz citou inúmeros médicos e pacientes que se encontram em hospitais neste momento.

A população de Gaza, com colapso das linhas telefônicas, indisponibilidade de internet na maior parte do tempo e falta de energia, os cidadãos não sabem como se informar com segurança.

Autoridade do Hamas para os Assuntos dos Refugiados afirmou que os habitantes do norte devem “permanecer firmes nas suas casas e permanecer firmes ante esta repugnante guerra psicológica travada pela ocupação”.

O repórter da rede Al Jazeera, Safwat al-Kahlout, declarou que as pessoas acreditam que isto é uma espécie de guerra psicológica e não querem acreditar.

“Em termos práticos, 1,1 milhões de pessoas não têm instalações suficientes para se deslocarem. Como poderão deslocar-se? Burros? Eles não têm burros suficientes. Carros? Não há carros suficientes. Não há combustível para os veículos circularem há sete dias”, acrescentou al-Kahlout ao site.

Além dos bombardeios aéreos, Israel deve promover uma invasão terrestre em uma das áreas mais densamente povoadas da Faixa de Gaza, após o massacre contra civis promovido pelo grupo extremista Hamas desde o último sábado (7).

Retorno permitido

No comunicado, as Forças de Defesa dizem que a saída deve ser feita para “segurança” dos próprios cidadãos, porque Israel planeja “operar significativamente na Cidade de Gaza”.

“Vocês só poderão retornar à Cidade de Gaza quando for feito outro anúncio permitindo isso. Não se aproxime da área da cerca de segurança com o Estado de Israel”, continua o texto israelense.

O aviso dos militares israelenses foi direcionado a funcionários da ONU, civis que ocupam abrigos da ONU e civis em geral.

Com informações Metrópoles

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *