Morre prefeito paraguaio vítima de atentado na fronteira com o Brasil

A família Acevedo, tradicionalmente ligada à política no Paraguai, sofreu vários ataques nos últimos anos.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

O prefeito da cidade paraguaia Pedro Juan Caballero, zona considerada rota de narcotráfico na fronteira com o Brasil, morreu na madrugada de domingo (22), cinco dias depois de sofrer um atentado. A morte foi confirmada pelos familiares da vítima.

José Acevedo, do Partido Liberal Radical Autêntico (PLRA), foi atacado por criminosos que passavam em um carro e o interceptaram em frente à sede da Prefeitura, quando aparentemente andava, sem escolta, em direção ao seu veículo.

O carro usado pelos pistoleiros foi encontrado em chamas logo após o ataque nos arredores de Pedro Juan Caballero, cidade que faz fronteira com Mato Grosso do Sul.

No dia do atentado, Ronald Acevedo, irmão de José Carlos e governador da região de Amambay, culpou o presidente do Paraguai, Mario Abdo Benítez, pela tentativa de homicídio. "Mando dizer ao Presidente da República que ele é o culpado pelo que está acontecendo em PJC [Pedro Juan Caballero] e pelo que aconteceu com meu irmão. Mario Abdo Benítez, você não tem coragem, meu amigo", declarou.

A família Acevedo, tradicionalmente ligada à política no Paraguai, sofreu vários ataques nos últimos anos.

O mais recente teve como alvo a sobrinha de Carlos Acevedo, Haylee, filha do governador Ronald. O caso segue sendo investigado pelas autoridades do Paraguai.