Caixa vira alvo de ação do MPF, que cobra R$ 5 bi para cobrir contribuições de aposentados

Desvios de fundo de pensão entre 2008 e 2016 somam R$ 18 bilhões, segundo procurador

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

BRASIL - O Ministério Público Federal (MPF) entrou com ação civil pública na Justiça de Brasília na terça-feira 21 para exigir que a Caixa Econômica pague R$ 5 bilhões à Fundação dos Economiários Federais (Funcef) por prejuízos causados na gestão dos recursos aplicados pelo fundo de pensão.

A ação é resultado das investigações da Operação Greenfield, que apura desvio de dinheiro dos fundos de pensão e bancos públicos. Para tentar equilibrar as contas da Funcef, os aposentados tiveram de arcar com contribuições extraordinárias, o que é questionado pelo MPF.

Com pedido de liminar, o objetivo da ação é que o montante seja utilizado para "abater as contribuições extraordinárias que vêm sendo cobradas pela Funcef de seus beneficiários, sobretudo as parcelas com vencimento mais próximo".

Os supostos fatos criminosos contra fundos de pensão e bancos, que até o momento já foram denunciados no âmbito da operação, ocorreram entre 2008 e 2016, nas gestões do PT. Até o fim de 2016, o déficit do Funcef era de R$ 18 bilhões.

O MPF diz ainda que a Caixa Econômica era um banco "altamente politizado e indicava diretores para a Funcef, que também atendiam a interesses políticos naquele tempo". Como resultado, a Funcef passa por grave problema financeiro.