Prefeitura fortalece fluxo nas unidades de saúde para combate à violência contra a pessoa idosa

Integrando as ações do “Junho Lilás”, mês de combate à violência contra a pessoa idosa, a Prefeitura de Manaus realizou uma webconferência, na quarta-feira, 29/6, para fortalecer o fluxo de atendimento às vítimas dentro das unidades da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa). O objetivo da atividade é ampliar as discussões a respeito do tema e contribuir com o acolhimento adequado a esses idosos.

 

 

A webconferência integra a programação do “Diálogos na APS”, estratégia da Semsa para aprimorar as ações de saúde, por meio de constante debate dos gestores junto aos profissionais da ponta. O “Diálogos na APS” é realizado a cada 15 dias, a partir das 14h, com transmissão ao público em geral pelo canal do YouTube da secretaria (www.youtube.com/c/SemsaManausOficial).

 

Uma das palestrantes foi a enfermeira Wanderglicer Chaves, do Distrito de Saúde (Disa) Sul, especialista em Gestão em Saúde e em Análise de Situação de Saúde. Ela explicou que os profissionais de saúde podem observar alguns sinais que indicam quando um idoso pode estar sendo vítima de violência física ou psíquica.

 

“Nesses casos, é dever do médico, enfermeiro ou assistente social preencher a ficha de notificação de violência interpessoal ou autoprovocada, também usada para registrar agressões contra outros grupos, como mulheres e crianças, por exemplo. Essa ficha é encaminhada aos Distritos de Saúde, que são responsáveis por inserir as informações no sistema do Ministério da Saúde. Notificar e denunciar a violência contra o idoso é uma obrigação prevista em lei, e quem não o fizer, pode estar sendo conivente com a violência”, disse.

 

Ainda de acordo com Wanderglicer, esses dados são fundamentais para a tomada de decisões dos órgãos de saúde e no desenvolvimento de políticas públicas voltadas a esse segmento. Em casos de maior gravidade, é previsto o acionamento da Delegacia do Idoso para que seja realizada uma intervenção mais imediata.

 

A presidente do Conselho Estadual do Idoso, Kennya Mota, também foi convidada para participar da discussão. Ela disse que a falta de informação é um dos principais entraves para combater o problema, tanto do idoso que sofre a violência quanto de familiares, que, na maioria das vezes, são os agressores.

 

“O próprio idoso, em alguns casos, não se reconhece como vítima da violência por achar que a violação dos seus direitos é inerente à idade e, apesar de ser comum, é papel de toda a sociedade impedir que isso se torne algo banal. A gente precisa usar espaços como este para divulgar e falar sobre esse problema, que muitas vezes parte de dentro da casa da vítima”, contou.

 

Kennya, que também é coordenadora de ensino na Fundação da Universidade Aberta da Terceira Idade (Funati), destacou que a iniciativa da Semsa de envolver os servidores da Saúde no assunto é fundamental no combate à violência contra a pessoa idosa, pois eles são elementos chaves na identificação e notificação dos casos.

 

“Só a partir dessas informações nós vamos poder subsidiar políticas públicas mais pertinentes, sempre pensando na melhoria da qualidade de vida da pessoa idosa e na garantia da dignidade nesse período da vida”, finalizou.

Campanha

 

A chefe do Núcleo de Saúde do Idoso da Semsa, Maria Eliny, informou que, durante a campanha “Junho Lilás”, a secretaria intensificou as ações de combate à violência contra o idoso. Porém, segundo ela, apesar do mês estar chegando ao fim, o cuidado e prevenção ao problema é olhado com atenção durante todo o ano.

 

“A secretaria reforçou as orientações aos usuários nas salas de espera, em espaços da comunidade, grupos de idosos, assim como realizou atividades em pontos turísticos, como Teatro Amazonas e Ponta Negra. A finalidade é fazer com que esse idoso seja protagonista da sua vida, das suas decisões, e que ele compreenda a importância da inserção dele na comunidade”, afirmou.

 

Segundo Maria Eliny, durante a campanha, os profissionais que atuam nas unidades de saúde foram subsidiados com informações sobre a violência contra o idoso, para fortalecimento do trabalho diário. Nesta quarta-feira, o objetivo da webconferência foi reforçar essa discussão e tirar dúvidas em relação ao assunto.

 

— — —

Texto – Victor Cruz / Semsa

Fotos – Divulgação / Semsa