ANUNCIE AQUI!

Como assim? Biden e Putin concordam em discordar durante cúpula pragmática

Os motivos são dois dos temas espinhosos discutidos, a supracitada Ucrânia e os ataques cibernéticos.

Por Portal Sargento Adiel em 17/06/2021 às 16:27:00

© Getty Images

MUNDO- Pode parecer confuso, mas calma que o Portal Sargento Adiel explica pra você. Em um encontro que durou menos do que o antecipado, os presidentes Joe Biden e Vladimir Putin concordaram em discordar sobre temas já conhecidos, mas estrelaram em Genebra nesta quarta (16) uma cúpula descrita por ambos como "construtiva e pragmática".

Parece pouco, e talvez seja. Mas se o temor na Europa era de que houvesse uma invasão russa da Ucrânia em abril, com ameaças de todo tipo de lado a lado, é possível ver na primeira reunião Biden-Putin algum avanço.

Fosse boxe o esporte em questão, o resultado da reunião de cerca de três horas e meia, até cinco horas no plano da Casa Branca, seria um empate técnico ou uma apertada vitória por pontos para o russo.

Tanto Putin quanto Biden reafirmaram suas posições sobre o país de Volodimir Zelenski, com o americano sendo enfático na sua entrevista coletiva acerca do que já havia dito: os EUA defendem a soberania ucraniana, violada por rebeldes pró-Rússia que ocupam seu leste apoiados pelo Kremlin desde 2014.

O líder russo lembrou sua visão, segundo a qual o Ocidente apoiou um "golpe sangrento" contra seu aliado Viktor Ianukovitch, então presidente ucraniano, o que o levou a anexar a Crimeia e a fomentar a guerra civil na região do Donbass.

Mas ambos falaram a mesma língua ao citar soluções para o problema: que elas sejam baseadas nos Acordos de Minsk. Costurados em 2014 e 2015, eles preveem a devolução do controle do leste para Kiev, mas mantendo um grau de autonomia que é inaceitável para a elite política ucraniana.

Com a recente troca pouco amistosa de palavras entre Biden e Zelenski, que quer acelerar uma hoje inviável entrada da Ucrânia na Otan (aliança militar ocidental), o cheiro de queimado deve ter sido sentido em Kiev.

Já no tema dos ataques cibernéticos, que são atribuídos aos russos nas eleições de 2016 e 2020, mas também nas ações contra órgãos governamentais americanos no ano passado, Biden foi ambíguo. Uffa, eaí deu pra entender toda essa confusão política? Toda essa concordância não passa de um acerto de contas com a Ucrânia.

Fonte: Notícia ao Minuto

Comunicar erro
ENTRE NO NOSSO GRUPO DE WHATSAPP

Comentários

ANUNCIE AQUI!