meta Oab

STF manda Aziz se manifestar sobre e-mail de Mayra Pinheiro vazado à imprensa

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, pediu esclarecimentos sobre o vazamento de informações sigilosas em poder da CPI da Covid.

Por Redação em 27/07/2021 às 12:34:55

Foto: Agência Senado

MANAUS - O presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid, senador Omar Aziz (PSD), terá que explicar ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, em cinco dias, os motivos do vazamento de informações sigilosas sobre a médica Mayra Pinheiro, a "Capitã Cloroquina", que estavam em poder da comissão.

Segundo a defesa de Pinheiro, integrantes da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Covid enviaram a jornais um e-mail que estava sob sigilo. O segredo se deve a uma decisão do próprio ministro Lewandowski. Em 12 de junho, o magistrado manteve a quebra de sigilo telefônico e telemático (de mensagens) da secretária, mas ordenou que os documentos fossem tratados como confidenciais.

"Mesmo quanto às informações que digam respeito à investigação – não sendo, pois, de cunho privado -, estas deverão ser acessadas apenas por Senadores da República, integrantes da Comissão Parlamentar de Inquérito, e pela própria impetrante e seus advogados, só podendo vir a público, se for o caso, por ocasião do encerramento dos trabalhos, no bojo do relatório final, aprovado na forma regimental", disse o ministro na ocasião.

Aziz deverá apresentar as informações solicitadas por Lewandowski dentro do prazo máximo de 5 dias. Eis a íntegra do documento encaminhado ao senador (141 KB).

Em um dos e-mails vazados para a imprensa, o conteúdo aponta a médica pedindo a um colega do Ministério, identificado como Hélio Angoti, para elaborar perguntas que seriam repassadas aos senadores governistas para que fossem feitas a ela durante a oitiva na CPI.

"Eles vão jogar para eu fazer o gol", explicava Mayra na ocasião.

Comunicar erro
ENTRE NO NOSSO GRUPO DE WHATSAPP

Comentários

ANUNCIE AQUI!