Término de relacionamento teria motivado advogada matar o pai e a avó do ex envenenados

Brasil Polícia

Brasil – A advogada Amanda Partata Mortoza, de 31 anos, é suspeita de ter matado o sogro e a mãe dele envenenados. Segundo investigação da polícia, ela teria colocado veneno em um doce servido durante um café da manhã em família no último domingo (17) em Goiânia (GO). As vítimas são Leonardo Pereira Alves, de 58 anos, e a mãe dele, Luzia Tereza Alves, de 86 anos.

De acordo com as informações repassadas pela polícia, Amanda teve um relacionamento íntimo com o filho de Leonardo por cerca de cinco meses. Um mês após eles terminarem a relação, o filho de Leonardo começou a receber ameaças de perfis fakes nas redes sociais.

Algumas mensagens diziam que o filho de Leonardo “mais tarde não poderia chorar o leite derramado”. As investigações descobriram também que Amanda tinha um aplicativo de celular e teria feito mais de 100 ligações para o ex-namorado.

O advogado da família das vítimas contou que a suspeita teria revelado que estava grávida e por isso foi acolhida novamente pela família e o ex-namorado teria dito que iria assumir a criança. Na manhã de domingo (17), Amanda foi até a casa do ex-sogro levando uma cesta de café da manhã com biscoito e pão de queijo, suco de uva e bolos no pote.

Cerca de três horas depois do consumo, Leonardo e Luzia começaram a sentir dores abdominais, além de também apresentarem vômitos e diarreia. Os dois chegaram a ser internados no Hospital Santa Bárbara, em Goiânia, mas não resistiram.  Inicialmente, familiares das vítimas chegaram a suspeitar da confeitaria que vendeu os doces, mas essa suspeita foi logo descartada pela polícia.

Amanda já possui outras ocorrências criminais em Pernambuco, Rio de Janeiro e São Paulo. O delegado Carlos Alfama, responsável pela prisão, disse que a suspeita responderá por duplo homicídio por envenenamento.

Nas redes sociais, Amanda se apresenta como psicóloga e terapeuta, mas o Conselho Regional de Psicologia de Goiás informou em nota que Amanda não tem registro profissional ativo. Ela cursou Direito na Universidade Luterana do Brasil e tem registro junto à Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *